Artigo: Faça uma pesquisa na internet e redija um texto que tenha entre 500 e 1.000 palavras, excluídas as referências bibliográficas, apresentando casos de sucesso na implementação destas ferramentas no combate ao crime.

 


Curso: Análise Criminal

Disciplina: Mapeamento Criminal

Pontuação: 15 pontos


TAREFA 4.2




Comando da atividade:

Ao falar sobre Mapeamento Criminal, observamos uma grande dependência da tecnologia, seja hardware, software e programadores.

Faça uma pesquisa na internet e redija um texto que tenha entre 500 e 1.000 palavras, excluídas as referências bibliográficas, apresentando casos de sucesso na implementação destas ferramentas no combate ao crime.

Vale de 0 (zero) a 15 (quinze) pontos desde que você envie no prazo determinado e alcance os objetivos propostos.



Bom trabalho!





CASOS DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DE FERRAMENTAS DE MAPEAMENTO CRIMINAL NO COMBATE AO CRIME.

1. APLICAÇÃO DO MAPEAMENTO CRIMINAL NA POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

A Polícia Civil do Distrito Federal iniciou a análise criminal e a criação do Escritório de Estatística e Plano de Gestão – DEPO, que veio com a aprovação da Lei 2.835/01 para reconstruir a estrutura de gestão da entidade a objetivar a análise e conduzir pesquisas independentes sobre criminologia e geografia. Segundo o autor a necessidade de desenvolver este trabalho advém do desejo da polícia em desenvolver pesquisas nesta área através da confecção de mapas de hotspots e geografia.


Os resultados mostraram que o mapeamento criminal é uma ferramenta que pode ser utilizada para melhorar a gestão da segurança pública, identificar áreas com maior incidência de crimes e orientar a atuação das forças policiais.

A partir do ano de 2006 foram desenvolvidos os primeiros mapas, que eram digitalizados da lista telefônica e pontuados, sem um software específico, mas já referenciados.

O trabalho mostra uma a análise de ocorrências do crime de homicídio na região administrativa de Brasília, mais especificamente na Asa Sul do Plano Piloto conforme a figura 01.




A Divisão de Estatística e Planejamento Operacional – DEPO passou a utilizar mapas georreferenciados, sendo que, as bases utilizadas para o desenvolvimento eram extraídas do SITURB1.

Em 2013 foi disponibilizado o Sistema de Localização e Planejamento Atlas, desenvolvido por servidores lotados na Divisão de Tecnologia DITEC, o qual permite ao usuário desenvolver uma gama imensurável de mapas, conforme sua necessidade.

Entre 2012 e 20132 a SICVIO3 com o objetivo de demonstrar a aplicabilidade do Mapeamento Criminal na Polícia Civil do Distrito Federal é apresentada a investigação realizada pela e faz referência ao mapeamento dos crimes de roubo a coletivo que ocorreram no período de dezembro de 01 de dezembro de 2012 a 31 de Janeiro de 2013 e elaboraram vários mapas criminais.

Neste período foram aferidas 62 (sessenta e duas) ocorrências de roubo em ônibus, com maior incidência aos fins de semana, em especial aos sábados, no horário compreendido entre 19 horas e 23 horas. As “Zonas Quentes”, localizadas sobre a QNP 16 e nas paradas de ônibus localizadas à frente da Área de Desenvolvimento – ADE e houve uma maior previsibilidade e entendimento da ação delitiva para desenvolver ações específicas a fim de identificar os agressores, e, uma vez identificados serviu para auxiliar na explanação sobre o modus operandi, utilizado pelos praticantes de delitos, sendo que um deles acabou sendo indiciado em 25 Inquéritos Policiais, o que contribuiu consideravelmente para a redução da incidência daquela modalidade criminosa, pois vários suspeitos foram pressos e a incidência destes crimes baixou em 97.2%, o que torna a ferramenta do Mapeamento Criminal extremamente eficaz.


2. EXEMPLO APLICAÇÃO DO MAPEAMENTO CRIMINAL NA PM E POLÍCIA CIVIL DE SANTA CATARINA

2.1. APLICAÇÕES GEOGRÁFICAS NA SEGURANÇA PÚBLICA

Diversos tipos de aplicações geográficas são possíveis na área de Segurança Pública. Para exemplificar, podemos citar o uso de dados geoespaciais para a criação de mapas de criminalidade, que permitem identificar áreas com maior incidência de crimes e, assim, direcionar os esforços de segurança pública para essas regiões. Além disso, o uso de sistemas de informação geográfica (SIG) pode ser utilizado para o monitoramento de eventos, como crimes, ocorrências de trânsito e acidentes, o que permite uma resposta mais rápida e eficaz das autoridades.

2.2 METODOLOGIA

Para alcançar os objetivos anteriormente citados seguiram-se várias etapas, como:

a) Escolha do tema;

b) Pesquisa de referências bibliográficas nacionais e internacionais sobre o assunto abordado;

c) Revisão bibliográfica e conceitualização dos diversos temas que envolvem o assunto principal;

d) Pesquisa de campo através da coleta de dados nos órgão públicos: Polícias Civil e Militar de Santa Catarina e Secretaria de Desenvolvimento Urbano de São José (SDU – SJ);

e) Revisão e organização dos materiais coletados (dados estatísticos, mapas e fotos aéreas);

f) Escolha dos softwares para realizar o mapeamento de crimes. Através dos softwares ArcView, ArcInfo, MapInfo, Auto Cad Map, Spring, Crimestat, etc.;

g) Análise dos dados mapeados.

3. DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ESTUDOS

Escolheu-se a área do bairro de Campinas porque esta fica próxima da maior e mais perigosa favela existente na região, a favela Chico Mendes. Grande parte dos crimes que acontecem no bairro Campinas são cometidos por criminosos desta favela. Os estudos demográficos e sociais foram bem abrangentes para uma maior exatidão nos dados.

2.4. AQUISIÇÃO, LEVANTAMENTO, PROCESSAMENTO E ANÁLISE DE DADOS DOS RESULTADOS OBTIDOS

2.4.1. Aquisição dos mapas e foto digital do bairro de Campinas e da cidade de São José

2.4.2. Levantamento e processamento dos dados das ocorrências de crimes registradas na PM

A PM detalhou os crimes contra o patrimônio e os plotou em mapas e gráficos.

2.4.2.1. Avenida Presidente Kennedy........................................................................…

2.4.2.2. Avenida Josué Di Bernardi

2.4.3. Mapeamento utilizando-se os softwares Auto Cad Map e ArcView

2.4.4. Mapeamento das ocorrências de crimes registrados em 2002

2.4.5. Mapeamento das ocorrências de crimes registrados em 2003

2.4.6. Análise dos dados e aplicação do policiamento no intuito de reduzir a mancha criminal

Nestes novos projetos referentes ao mapeamento das ocorrências de crimes (61) e (64) durante o ano de 20034, realizados através do software ArcView, alterou-se a quantidade de ocorrências de crimes e suas localizações nas áreas mapeadas e os valores nas tabelas modificando os resultados nos gráficos.

Apesar de tudo, a implementação do Mapeamento Criminal foi um sucesso levando-se em conta que o estudo foi um comparativo entre dois anos diferentes (pretéritos) e a partir da tabulação dos dados, o policiamento foi montado para diminuir a mancha criminal a partir de 2004.











REFERÊNCIAS

MÁXIMO, Alexandre Alves. A IMPORTÂNCIA DO MAPEAMENTO DA CRIMINALIDADE UTILIZANDO-SE TECNOLOGIA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA AUXILIAR A SEGURANÇA PÚBLICA NO COMBATE À VIOLÊNCIA - Dissertação de Mestrado. Florianópolis, 2004. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/86752/212755.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso em: 04 fev. 2024.

SOLAGNA NETO, Ludovico. MAPEAMENTO CRIMINAL: UMA ANÁLISE DA SUA APLICAÇÃO NO PLANEJAMENTO OPERACIONAL E NA INVESTIGAÇÃO POLICIAL PARA A POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL. Escola de Ciências Jurídicas e Sociais da Faculdade Projeção. Brasília/DF, 2014. Disponível em: https://biblioteca.projecao.br/upload/vinculos/000044/00004449.pdf. Acesso em 02 fev. 2024.

1 Sistema de Informação Territorial e Urbana do Distrito Federal – SITURB. Esses mapas possuíam escala e eram mais específicos.

2 Período de dezembro de 01 de dezembro de 2012 a 31 de Janeiro de 2013

3 Equipe da Seção de Investigação de Crimes Violentos – SICVIO, da 23ª Delegacia de Polícia

4 Isto pode significar que nestas áreas das avenidas Josué Di Bernardi e Presidente Kennedy, onde houve um aumento do índice de criminalidade entre os anos de 2002 e 2003, pode ser causados por vários fatores como: falta de policiamento durante o dia, pois a maioria destes crimes ocorreu entre os períodos da manhã e tarde; aumento do tráfico e consumo de drogas (entorpecentes); aumento da população, principalmente das favelas; entre outros. Um dos maiores problemas enfrentados na Avenida Josué Di Bernardi, onde houve uma incidência maior de crimes (61) e (64), é a sua proximidade com as áreas de maior foco de criminalidade que são: Favela Chico Mendes, Bairro Monte Cristo e Bairro Capoeiras.

Postar um comentário

0 Comentários

Postagem em destaque