*PORTO ALEGRE* | *HOSPITAL CONFIRMA MORTE CEREBRAL DE MULHER QUE CAIU DA MACA ENQUANTO FAZIA EXAME EM PORTO ALEGRE.*

*PORTO ALEGRE*

*HOSPITAL CONFIRMA MORTE CEREBRAL DE MULHER QUE CAIU DA MACA ENQUANTO FAZIA EXAME EM PORTO ALEGRE.* 

Segundo a SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, paciente foi diagnosticada com gastrite e teve uma agitação enquanto era feita uma radiografia. Familiares pedem por justiça e acusam unidade de saúde de negligência.

Uma mulher de 67 anos teve morte cerebral confirmada pelo HOSPITAL DE PRONTO SOCORRO (HPS), na quarta-feira (13), após cair de uma maca na UNIDADE DE SAÚDE DO BAIRRO BOM JESUS, em PORTO ALEGRE.

A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE informou que a paciente teve uma agitação enquanto era feita uma radiografia e acabou caindo. Os funcionários da unidade serão ouvidos pela SPDM, empresa que administra o local.
VERA REGINA GUEDES foi encaminhada pelo SERVIÇO MÓVEL DE URGÊNCIA (SAMU) à UNIDADE DE SAÚDE após sentir uma queda de pressão, no domingo (10). O diagnóstico de gastrite veio após oito horas e então a equipe médica quis realizar uma radiografia complementar.
O filho da paciente, LEANDRO GUEDES, conta que 15 minutos depois a equipe retornou, apagou as luzes do corredor e deixou a mãe ao lado dele, justificando que os pacientes que estavam no corredor precisavam dormir.
LEANDRO disse que estranhou a atitude de um dos enfermeiros, pois estava com um saco de gelo enrolado em um pano para passar no rosto de Vera. 
O profissional disse ao filho da paciente que ela tinha tido uma luxação por bater na guarda da cama.

*“Quando eu observei o lado esquerdo, a face esquerda do rosto dela, abaixo e acima do olho, havia hematomas de grande proporção, que facilmente, qualquer leigo pode observar que não foi uma batida contundente na guarda da cama”*, diz.

Após a BRIGADA MILITAR (BM) ser acionada por LEANDRO, um enfermeiro e o médico da unidade admitiram que a paciente havia caído da maca. 
No prontuário, a queda está registrada como *"acidente interno"*.
Vera então foi transferida para o HPS, onde, segundo a família, uma tomografia identificou uma fratura no crânio e no rosto. 
Ela entrou em coma na segunda-feira (11).

*“A sensação é de impunidade e revolta.* 
*O que a minha família quer é justiça, é a última coisa que a gente pode fazer pela memória da minha mãe é justiça, que as pessoas que estavam responsáveis por ela paguem pelos seus erros”*, disse LEANDRO.




Postar um comentário

0 Comentários

Postagem em destaque

SÉRIE MINERAÇÃO | Britadores de Impacto: Princípio de Funcionamento e Aplicações