Oppenheimer e a Bomba Atômica



As bombas Little Boy, lançada em Hiroshima, e a Fat Man, em Nagasaki, levaram os japoneses a declarar sua rendição em 14 de agosto de 1945, com a oficialização em 2 de setembro do mesmo ano. Os ataques destruíram as duas cidades, além de selar o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).



Características das bombas lançadas e cronologia dos bombardeios

Little Boy, bomba utilizada em Hiroshima, possuía três metros de comprimento por 70 centímetros de diâmetro e pesava quatro toneladas, com uma capacidade explosiva de 15 toneladas de TNT.

Fat Man, de Nagasaki, tinha 3,5 metros de comprimento e 1,5 metro em seu diâmetro máximo, pesando 4,5 toneladas, composta de plutônio, com uma capacidade explosiva de 20 toneladas de TNT.

A primeira cidade atacada foi Hiroshima, em 6 de agosto de 1945. O avião bombardeiro B-29, chamado Enola Gay, pilotado por Paul Tibbets, às 8:15 da manhã, realizou o ataque, lançando a Little Boy, bomba de urânio 253. Um forte clarão se formou com a explosão, criando um “pequeno sol na Terra”.

A onda de calor criada pela bomba chegou a 4000 °C, atingindo um raio de destruição de aproximadamente 4,5 km. A força da explosão pôde ser sentida a 60 km de distância.

Durante 3 dias ocorreram incêndios na cidade ocasionados pelo calor. Aproximadamente 60% da cidade foi destruída e 140 mil pessoas morreram nesse primeiro ataque.

Mesmo com os impactos materiais, humanos e psicológicos causados por um ataque que chocou o mundo, o Japão decidiu não se render. Contudo, três dias depois do primeiro ataque, em 9 de agosto, os EUA lançaram uma segunda bomba.

O alvo inicial era a cidade de Kokura, com um terreno plano, porém a neblina impossibilitou que Charles Sweeney, piloto do bombardeiro B-29 (mesmo modelo do utilizado em Hiroshima), conseguisse lançar a bomba.

Assim, ele seguiu rumo a cidade de Nagasaki carregando a Fat Man, bomba com um poder de destruição ainda maior que a anterior, feita de plutônio 239. A bomba explodiu a 500 metros do solo.

A força da explosão da Fat Man foi maior, porém as características geográficas de Nagasaki diminuíram a área de destruição, pois há dois vales entre a cidade. Ainda assim, 40% da cidade foi destruída.

Cinco dias após o segundo ataque, os japoneses declararam sua rendição no dia 14 de agosto de 1945. O acordo foi assinado no dia 2 de setembro, no navio americano USS Missouri, na Baía de Tóquio.

Os hibakushas, sobreviventes dos ataques nucleares e as consequências nucleares

Os sobreviventes dos ataques nucleares são chamados de hibakushas, palavra japonesa que significa “expostos à bomba” ou “filhos da bomba”.

Esses indivíduos sofreram com diversos problemas de saúde posteriormente ao ataque, com doenças que se manifestaram apenas anos depois por conta da radiação. Além disso, foram corriqueiros casos de discriminação.

Eram comuns relatos de hibakushas com dificuldades para encontrar emprego, casamento ou mesmo casar os próprios filhos, pelo receio das pessoas de como a radiação iria se manifestar em seus corpos ou genes futuramente.

Além das mortes e da destruição, aos sobreviventes sobraram consequências como queimaduras de primeiro a terceiro grau, queimadura na retina, tumores cancerosos, alterações genéticas, entre outras questões. A longo prazo, problemas de ordem emocional, surtos epidêmicos de doenças como tuberculose, disenteria, hepatite ou outras doenças psíquicas e psicossomáticas.

No ambiente, foi possível notar mudanças climáticas, aumento crescente e duradouro do fluxo de radiação ultravioleta solar e alterações na temperatura em diversas regiões do planeta.




Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki: a história dos ataques nucleares. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/hiroshima-e-nagasaki/#:~:text=As%20bombas%20Little%20Boy%2C%20lan%C3%A7ada,Mundial%20(1939%2D1945). Acesso em: 16 ago. 2023.

Postar um comentário

0 Comentários

Postagem em destaque