Hades e Perséfone - MITOLOGIA GREGA - O MITO DAS ESTAÇÕES



Deméter: Deusa da Agricultura e da Fertilidade

Origem e Família:

  • Deméter era uma das deusas do Olimpo, filha dos titãs Cronos e Reia.
  • Irmã de Zeus, Poseidon, Hades, Hera e Héstia.

Poderes e Atribuições:

  • Deusa da agricultura, da colheita, da fertilidade da terra e das estações do ano.
  • Responsável pelo crescimento das plantações e pela abundância da terra.
  • Símbolos: grãos, trigo, cornucópia (chifre da abundância).

Mitos e Histórias:

  • Rapto de Perséfone: Filha de Deméter, Perséfone foi raptada por Hades, deus do submundo. A tristeza de Deméter causou o inverno e a fome na Terra. Zeus interveio, e Perséfone passou a dividir seu tempo entre a Terra e o submundo, explicando as estações do ano.
  • Erysichthon: Um jovem que cortou uma árvore sagrada de Deméter. Como punição, a deusa o amaldiçoou com uma fome insaciável que o consumiu.
  • Celebrações: Os Eleusinianos, festivais em honra a Deméter e Perséfone, celebravam a fertilidade, a agricultura e o ciclo da vida e da morte.

Importância:

  • Deusa fundamental para a vida humana, pois controlava a produção de alimentos.
  • Cultuada em diversas regiões da Grécia com rituais e oferendas.
  • Mitologia de Deméter explora temas como a relação entre a humanidade e a natureza, o ciclo da vida e da morte, o amor materno e a perda.

Representações:

  • Frequentemente retratada como uma mulher madura e serena, com vestes longas e carregando uma cornucópia.
  • Símbolos: grãos, trigo, papoula, tocha.

Influência:

  • Presente na literatura, arte e cultura até hoje.
  • Símbolo da agricultura, da fertilidade e da natureza.

Fontes de pesquisa:



Erysichthon

Erysichthon era um rei da Tessália na mitologia grega. Ele era conhecido por sua impiedade, arrogância e desrespeito aos deuses, principalmente Deméter, a deusa da agricultura.

Mito de Erysichthon:

  • Um dia, Erysichthon ordenou que seus servos cortassem uma árvore sagrada em um bosque dedicado a Deméter. A árvore era um carvalho gigante que servia como lar para uma ninfa das dríades.
  • Enfurecida pela profanação, Deméter puniu Erysichthon com uma fome insaciável. Ele comia constantemente, mas nunca se sentia satisfeito.
  • Para saciar sua fome, Erysichthon gastou toda a sua fortuna em comida. Quando não tinha mais nada, ele começou a vender seus bens e até mesmo seus próprios filhos.
  • Apesar de sua miséria, a fome de Erysichthon nunca diminuiu. Ele finalmente consumiu sua própria carne e morreu de fome.

Moral da história:

  • O mito de Erysichthon é um exemplo clássico da punição divina por atos de impiedade e desrespeito aos deuses.
  • Ele serve como um aviso para que os mortais sejam humildes e reverenciem os deuses.
  • A história também ilustra os perigos da ganância e da falta de controle, que podem levar à ruína.

Outras fontes:


Hades e Perséfone


Hades e Perséfone formam um casal icônico da mitologia grega, representando a dualidade de vida e morte, primavera e inverno. Aqui está a história de amor e perda:

O Rapto:

  • Perséfone, filha de Demeter, deusa da agricultura, era uma jovem linda e inocente.
  • Hades, o deus do submundo, se apaixonou por Perséfone e a raptou com a permissão de Zeus, seu irmão.

Busca de Demeter:

  • Demeter ficou devastada com o desaparecimento de Perséfone e buscou por ela incansavelmente.
  • Sua tristeza causou a morte da vegetação na Terra, pois a colheita parou.

O Pacto:

  • Zeus interveio e obrigou Hades a liberar Perséfone. No entanto, Perséfone havia comido seis sementes de romã enquanto estava no submundo.
  • Como consequência, Perséfone precisava passar um terço do ano (geralmente associado ao inverno) com Hades e o restante do ano com sua mãe na Terra (geralmente associado à primavera e ao verão).

Rainha do Submundo:

  • Durante seu tempo no submundo, Perséfone se tornou rainha ao lado de Hades.
  • Algumas versões do mito sugerem que ela até apreciou seu papel e se sentiu confortável no submundo.

Símbolo das Estações:

  • O mito de Hades e Perséfone explica as estações do ano.
  • A descida de Perséfone ao submundo representa a morte da vegetação no inverno, e seu retorno à Terra simboliza o renascimento da primavera.

Amor e Perda:

  • A história também reflete o ciclo de vida e morte, com a separação anual representando a perda e o reencontro.
  • O amor entre Hades e Perséfone mostra que até mesmo no mundo dos mortos, o amor e a devoção podem florescer.

Variações do Mito:

  • Existem variações do mito em diferentes fontes.
  • Algumas versões retratam Perséfone como uma vítima passiva, enquanto outras sugerem que ela desenvolveu um vínculo com Hades.

Legado:

  • O mito de Hades e Perséfone continua a inspirar artistas e escritores até hoje.
  • Ele representa a beleza e a tristeza da mortalidade, a dualidade da natureza e o poder do amor.



Postar um comentário

0 Comentários

Postagem em destaque

SÉRIE MINERAÇÃO | Britadores de Impacto: Princípio de Funcionamento e Aplicações