Salmo de Azarias e o cântico dos três jovens

 

Salmo de Azarias e o cântico dos três jovens




Cântico dos 3 jovens na fornalha

A Oração de Azarias e o Cântico dos Três Jovens: Uma análise aprofundada

Origem e Conteúdo:

A Oração de Azarias e o Cântico dos Três Jovens, também conhecida como Cântico de Azarias, é uma longa passagem que aparece após Daniel 3:23 nas Bíblias católicas, ortodoxas e na Septuaginta grega. A passagem narra a oração de Azarias (também chamado de Abednego) enquanto ele e seus amigos Sadraque e Mesaque estão na fornalha ardente por ordem do rei Nabucodonosor. A oração é seguida por um cântico de louvor a Deus, entoado pelos três jovens.

Canonicidade:

A Oração de Azarias e o Cântico dos Três Jovens não é considerada canônica pelas igrejas protestantes, que a classificam como um texto apócrifo. Já as igrejas católicas e ortodoxas a reconhecem como parte do cânon bíblico, atribuindo-lhe inspiração divina.

Motivos para a Exclusão:

A exclusão da Oração de Azarias e do Cântico dos Três Jovens pelas igrejas protestantes se baseia em alguns argumentos:

  • Ausência nos Manuscritos Hebraicos: A passagem não está presente nos manuscritos originais do Antigo Testamento em hebraico, mas apenas em traduções posteriores, como a Septuaginta grega.
  • Diferenças Estilísticas: O estilo literário da passagem diverge do restante do livro de Daniel, o que levanta dúvidas sobre sua autenticidade.
  • Conteúdo Teológico: Alguns elementos teológicos presentes na Oração de Azarias e no Cântico dos Três Jovens divergem da doutrina protestante, como a intercessão dos anjos e a oração pelos mortos.

Argumentos a Favor da Canonicidade:

As igrejas católicas e ortodoxas defendem a canonicidade da Oração de Azarias e do Cântico dos Três Jovens com base em:

  • Tradição: A passagem faz parte da tradição litúrgica e escriturística dessas igrejas desde os primórdios do cristianismo.
  • Testemunho dos Pais da Igreja: Os Pais da Igreja, como Clemente de Roma e Tertuliano, reconheciam a Oração de Azarias e o Cântico dos Três Jovens como parte da Bíblia.
  • Inspiração Divina: As igrejas católicas e ortodoxas acreditam que a passagem foi inspirada por Deus e transmite ensinamentos valiosos sobre fé, esperança e louvor.

Importância da Passagem:

Independentemente de sua canonicidade, a Oração de Azarias e o Cântico dos Três Jovens são textos de grande importância para a história e a teologia do cristianismo. A passagem oferece um poderoso exemplo de fé inabalável e louvor a Deus em meio à adversidade.

Recursos Adicionais:

Observações:

  • A canonicidade da Oração de Azarias e do Cântico dos Três Jovens é uma questão complexa com diferentes perspectivas entre as tradições religiosas.
  • É importante ter em mente que a Bíblia é um conjunto de textos complexos e multifacetados, que podem ser interpretados de diversas maneiras.
  • O estudo e a reflexão sobre a Oração de Azarias e o Cântico dos Três Jovens podem enriquecer nossa compreensão da fé e da história do cristianismo.


Cântico dos 3 jovens na fornalha

Antífona: Cantemos o hino dos três jovens, o mesmo que esses santos cantavam na fornalha ardente, bendizendo o senhor

Cântico do três Jovens (Dan 3, 57-88 e 56)

1. Obras do Senhor, bendizei todas o Senhor; louvai-O e exaltai-O para sempre.
2. Céus, bendizei o Senhor; Anjos do Senhor bendizei o Senhor.
3. Águas que estais por cima dos céus, bendizei todas o Senhor; todos os poderes bendigam o Senhor.
4. Sol e lua, bendizei o Senhor; estrelas dos céus, bendizei o Senhor.
5. Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor; e vós todos os ventos, bendizeis o Senhor.
6. Fogo e calor, bendizei o senhor; frio e calor, bendizei o Senhor.
7. Orvalhos e geadas, bendizei o Senhor; gelo e frio, bendizei o Senhor
8. Gelos e neves, bendizeis o Senhor; noites e dias, bendizei o Senhor
9. Luz e trevas, bendizei o Senhor; relâmpagos e nuvens, bendizei o Senhor.
10. Que a terra bendiga o Senhor; louve-O e exalte-O para sempre.
11. Montes e colinas, bendizei o Senhor; plantas que brotais da terra, bendizei o Senhor.
12. Mares e rios, bendizei o Senhor; fontes, bendizei o Senhor
13. Cetáceos e animais que viveis nas águas, bendizeis o Senhor; pássaros todos do céu, bendizei o Senhor.
14. Animais selvagens e rebanhos, bendizei o Senhor; filhos dos homens, bendizei o Senhor.
15. Bendiga Israel o Senhor; louve-O e exalte-O para sempre.
16. Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor; servos do Senhor, bendizei o Senhor.
17. Espíritos e almas dos justos, bendizei o Senhor; santos e humildes de coração, bendizei o Senhor.
18. Ananias, Azarias e Misael, bendizei o Senhor; louvai-O e exaltai-O para sempre.
19. Bendigamos o Pai, o Filho e o Espírito Santo; louvemo-Lo e exaltemo-Lo para sempre
20. Senhor, Vós sois bendito no firmamento dos céus; sois digno de louvor e glória para sempre.

Salmo 150

Não se diz nem glória nem Amém.

1. Louvai o Senhor no seu santuário, louvai-O no seu augusto firmamento.
2. Louvai-O por suas obras grandiosas, louvai-O por sua excelsa majestade
3. Louvai-O ao som da trombeta, louvai-O com o saltério e a cítara
4. Louvai - O com tímpanos e danças, louvai - O com a harpa e a flauta
5. Louvai-O com címbalos sonoros, louvai-O com címbalos de júbilo: tudo o que respira louve o Senhor

Glória ao Pai

Antífona: Cantemos o hino dos três jovens, o mesmo que esses santos cantavam na fornalha ardente, bendizendo o Senhor.


Todos se levantam, e quem dirige diz:

Senhor tende piedade de nós, Cristo tende piedade de nós, Senhor tende piedade de nós.

Pai Nosso

V. E não nos deixeis cair em tentação.
R. Mas livrai-nos do Mal
V. Todas as vossas obras Vos louvem, Senhor.
R. E os vossos santos Vos bendigam.
V. Os santos exultarão na glória.
R. E alegrar-se-ão nas suas moradas.
V. Não a nós, Senhor, não a nós.
R. Mas ao vosso nome da glória.
V. Ouvi, Senhor, a minha oração.
R. E chegue a Vós o meu clamor.

Os sacerdotes acrescentam:

V. O Senhor esteja convosco.
R. Ele está no meio de nós.
Oração. Ó Deus, que suavizastes as chamas do fogo aos três jovens; concedei-nos, pela vossa misericórdia, que não nos deixemos abrasar pelos vícios.
Nós vos rogamos, Senhor, que prepareis as nossas ações com a vossa inspiração, e as acompanheis com a vossa ajuda, a fim de que todos os trabalhos e orações em Vós comecem sempre e convosco acabem.
Dai-nos, Senhor, a graça de extinguir o ardor dos vícios, Vós que concedestes a São Lourenço a virtude de vencer o fogo de seu martírio. Por Cristo Senhor Nosso.

R. Amém.








Postar um comentário

0 Comentários

Postagem em destaque

SÉRIE MINERAÇÃO | Britadores de Impacto: Princípio de Funcionamento e Aplicações